Livre escolha!


              Hoje começo a perceber que tudo que eu faço, não fui educado a fazer. Idéias que me foram empurradas, quase que injetadas em meu sangue, do time a profissão, dos amigos e até o meu gosto pela televisão. Parece piada. Onde posso assim ser eu mesmo?  O que nos rodeia tenta nos influenciar. Musica, balada, trabalho e até o que eu tenho que de roupa usar. Na escrita, cada palavra de liberdade. Posso aqui escrever o que eu quiser, para pessoas que leem o  que querem.                               
               Na cultura a expressão. Me sinto livre. Mas não é a cultura que fui educado a seguir, a fazer parte. É algo que eu escolhi para mim, algo com o qual me identifico. Pode se argumentar sobre destino, nesse que eu não acredito. Pois, se destino existe, não existe livre escolha. A alternativa existe, mas para as mentes que estão abertas. Aventurando caminhos desconhecidos, mapeando e diluindo novos conhecimentos. Não me chame de Brainiac, não quero destruir. E sim partilhar! .                               
                   Ato de rebeldia, talvez. Não seguir a tendência. Posso ser o único caroço de feijão num prato de arroz, você se sente assim, diferente?  Me deram educação, mas fiz minhas próprias escolhas, com o que vi, vivi e conheci. Posso não seguir um time ou uma religião, ter uma profissão fora do padrão, amigos contra a opressão, contra a manipulação.  São amigos de ação, sem nenhum gosto pelo uso que se faz da ferramenta televisão. Sou assim. Livre para escolher. Pessoas comuns não entenderão e nem darão valor, talvez me jugarão, já me julgaram. Sem conhecimento, sem valor. Ignoro e continuo descobrindo novos caminhos...